Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

11 de Setembro - Ataque às Torres Gêmeas

11 de Setembro: ataques às torres gêmeas completam 16 anos



Momento em que avião colide contra uma das torres

Dezesseis anos após a queda do World Trade Center, ou as Torres Gêmeas como são conhecidas, em Nova Iorque, a tragédia do 11 de setembro ainda continua viva na mente de todo o mundo, principalmente na mente dos americanos que viram tudo de perto.
Na manhã daquele dia, quatro aviões foram dominados por dezenove sequestradores que buscavam apenas um objetivo: provocar o terror. Dois deles se chocaram contra as torres, um atingiu o Pentágono, em Washington D.C. e outro caiu em Shanksville, na Pensilvânia, após passageiros e tripulantes terem tentado retomar o controle do avião.
A tragédia deixou marcas significativas. Mais de três mil pessoas de mais de 70 nacionalidades morreram no ataque. A Al-Qaeda reivindicou o ataque e então iniciou-se a Guerra ao Terror e a busca pelo terrorista mais conhecido de todos os tempos: Osama Bin Laden.
A destruição começou às 8h46 (9h46 no Brasil) e terminou com a queda das torres às 10h28 (11h28 no Brasil). O primeiro avião, um Boeing 767 da America Airlines, atingiu cerca de quatro andares, entre o 94 e 98, do primeiro edifício e o segundo, um Boeing 757 também da mesma empresa, atingiu entre os andares 78 e 84.
As pessoas desesperadas começam a pular do prédio devido ao incêndio e a fumaça. Em um intervalo pequeno, ambos os maiores arranha-céus do mundo desmoronam como peças de brinquedo.
Após o ataque terrorista, uma grave crise econômica atingiu os Estados Unidos e iniciou mudanças na lei antiterrorismo. Nos dias de hoje, memoriais que relembram o ataque estão expostos nas ruas de Nova Iorque, de Washington e também na Pensilvânia, além de outros estados.
Um vídeo disponível no YouTube mostra o ataque de vários ângulos. Confira abaixo:



                                      😢




quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Tapetes e Tapeçarias







Pedras e Pedregulhos

Pedras, pedregulhos e cascalhos, a variedade é bastante extensa, quero classificá-las quanto aos locais que podem ser encontradas e seus nomes específicos.

Espero que gostem:  BREVE  (Em estudo...)












segunda-feira, 17 de julho de 2017

Game of Thrones: onde e como assistir ao começo da 7ª temporada

A série mais popular do planeta voltou neste Domingo (16), FINALMENTE. 



HBO abriu seu sinal, para que literalmente todo mundo pudesse assistir ao primeiro episódio da sétima temporada de “Game of Thrones“. Você assistiu? :D 






Mais detalhes para você que vai acompanhar esta nova temporada.

  1. Apesar de ter menos episódios do que o normal, esta temporada terá capítulos mais longos, como que para compensar. O último, por exemplo, vai durar nada menos que uma hora e 21 minutos. Olha só:
  • Episódio 1 – 59 minutos
  • Episódio 2 – 59 minutos
  • Episódio 3 – 63 minutos
  • Episódio 4 – 50 minutos
  • Episódio 5 – 59 minutos
  • Episódio 6 – 71 minutos
  • Episódio 7 – 81 minutos

sexta-feira, 14 de julho de 2017

Nínfas

Ninfas (em grego antigo Νύμφαι, em grego moderno Νύμφες), na mitologia grega, são espíritos naturais femininos, ligados a um local ou objeto particular da natureza. Muitas vezes, ninfas compõem o aspecto de variados deuses e deusas, ver também a genealogia dos deuses gregos. São frequentemente alvo da luxúria dos sátiros. Simplificando, as ninfas seriam fadas sem asas, leves e delicadas. São a personificação da graça criativa e fecundadora na natureza.



Culto e mitologia

Ninfa deriva do grego nýmphê (Νύμφη), que significa "noiva", "velado", "botão de rosa", dentre muitos outros significados. As ninfas são espíritos, habitantes dos lagos e riachos, bosques, florestas, prados e montanhas.

São frequentemente associadas a deuses e deusas maiores, como a caçadora Ártemis, ao aspecto profético de Apolo, ao deus das árvores e Dionísio, ao aspecto pastoreador de Hermes.

Uma classe especial de ninfas, as melíades, foram citadas por Homero como as mais ancestrais das ninfas. Enquanto as demais ninfas são normalmente filhas de Zeus, as melíades descendem de Urano.

Apesar de serem consideradas divindades menores, espíritos da natureza, as ninfas eram divindades cultuadas, com grande devoção e mesmo temor, em todo o mundo helénico. De acordo com a mitologia grega, Dione era a rainha das fadas e ninfas.

Embora não fossem imortais, as ninfas tinham vida muito longa e não envelheciam. Benfazejas, tudo propiciavam aos homens e à natureza. Tinham ainda o dom de profetizar, curar e nutrir.


















- BREVE -

Mais linkes relacionados com seres da Mitologia Grega


- Blog INFORMATIVO - 

Gosta de manter-se atualizada?  Confere as novidades! ;)  Faça sua busca na caixa de pesquisa e seja sempre Bem Vindo!  Grata pela atenção! 

quinta-feira, 13 de julho de 2017

Dríades ou Dríadas

Na mitologia grega, dríades ou dríadas eram ninfas associadas aos carvalhos. De acordo com uma antiga lenda, cada dríade nascia junto com uma determinada árvore, da qual ela exalava. A dríade vivia na árvore ou próxima a ela. Quando a sua árvore era cortada ou morta, a divindade também morria. Os deuses frequentemente puniam quem destruía uma árvore.
A palavra dríade era também usada num sentido geral para as ninfas que viviam na floresta. As ninfas de outras árvores são chamadas de hamadríades.


Elas cuidavam para sempre de sua determinada árvore, e nascia ao mesmo tempo que uma árvore nascesse. Se um humano plantava um carvalho, teria amizade da Dríade para sempre. 


Sua aparência é mais descrita como humanoide com pele verde, e as vezes até uma pele troncosa, com cabelos de vinhas, grama, capim ou cipó. 

O culto às Dríades surgiu em Arcádia, e ao contrário de outras Ninfas, as Dríades não se ligavam aos grandes deuses, apenas viviam entre suas árvores.

Para proteger sua árvore, uma Dríade amedrontava caçadores e lenhadores se transformando em feras, e fazendo ilusões. Além disso, pode se teleportar de uma árvore para outra.

As ninfas das florestas eram todas chamadas de Hamadríades, mas um tempo depois, foram classificadas por árvores e outros elementos como o carvalho.



Sua aparência é mais descrita como humanoide com pele verde, e as vezes até uma pele troncosa, com cabelos de vinhas, grama, capim ou cipó. 

O culto às Dríades surgiu em Arcádia, e ao contrário de outras Ninfas, as Dríades não se ligavam aos grandes deuses, apenas viviam entre suas árvores.

Para proteger sua árvore, uma Dríade amedrontava caçadores e lenhadores se transformando em feras, e fazendo ilusões. Além disso, pode se teleportar de uma árvore para outra.

As ninfas das florestas eram todas chamadas de Hamadríades, mas um tempo depois, foram classificadas por árvores e outros elementos como o carvalho.


Depois de morta, a Dríade desaparecia, ou poderia ser amaldiçoada e depois de enterrada, só sobravam seus ossos e ela criaria asas, se tornando uma Óssea Dríade, uma criatura que castigaria quem cortou a sua árvore, e vivia para construir colônias e matar suas presas.



Podem se camuflar entre os galhos de uma árvore seca, como predadoras para rasgar suas vítimas. Uma lenda diz que os ossos de uma Dríade são a única arma letal para uma Bacante, filhas de Baco, inimigos mortais das Dríades. 

Mais Imagens de Dríadas











- BREVE -

Mais linkes relacionados com seres da Mitologia Grega


- Blog INFORMATIVO - 

Gosta de manter-se atualizada?  Confere as novidades! ;)  Faça sua busca na caixa de pesquisa e seja sempre Bem Vindo!  Grata pela atenção!